Pelotas, Pátio de Estocagem de Ubu - 2014

Pelotas, Pátio de Estocagem de Ubu - 2014

A Samarco

Fundada em 1977, a Samarco é uma empresa de capital fechado que atua no segmento de mineração. Seu principal produto são as pelotas de minério de ferro comercializadas para a indústria siderúrgica de 19 países das Américas, do Oriente Médio, da Ásia e Europa.

Ao longo da sua trajetória, a Empresa sempre prezou por honrar seus compromissos com a sociedade e com o meio ambiente e essa conduta permanece até hoje. É por esse motivo que a Empresa afirma a sua consternação com o rompimento da barragem de Fundão, no município de Mariana, em novembro de 2015.

O rompimento da barragem, em 5 de novembro de 2015, causou danos ambientais, impactando famílias da região e de outras localidades ao longo do Rio Doce. Pedimos desculpas pelos danos causados às comunidades e à sociedade e sabemos que todas as nossas ações não irão devolver as vidas perdidas.

Desde o primeiro dia após o acontecimento, a Samarco colocou em prática ações para dar assistência às pessoas envolvidas e para reparar os danos ao meio ambiente. Para firmar seu compromisso com a recuperação social, ambiental e econômica das regiões impactadas, a Samarco, juntamente com as suas acionistas Vale S.A. e BHP Billiton Brasil Ltda., assinou um Termo de Transação e de Ajustamento de Conduta (TTAC) em março de 2016 com os governos federal e dos Estados de Minas Gerais e do Espírito Santo. O TTAC previu a criação de uma fundação para reparar e remediar os impactos do rompimento. Desde agosto, a Fundação Renova atua no desenvolvimento dos 41 programas de reparação e reconstrução, previstos no TTAC.

Após as ações emergenciais, desenvolvidas ao longo de 2016, a Empresa busca autorizações para voltar a operar. Um novo sistema de disposição de rejeitos utilizando a cava de Alegria Sul, em processo de licenciamento no órgão ambiental responsável, é um passo importante do planejamento operacional da Samarco e está em validação dos órgãos ambientais. Além do licenciamento, a Samarco busca iniciar o processo do Licenciamento Operacional Corretivo (LOC), junto à SEMAD, para assegurar a viabilidade ambiental do empreendimento e que irá integrar em uma única licença todas as estruturas existentes no Complexo de Germano.