Da mina ao porto

Operação integrada como vantagem competitiva

A Samarco opera com logística própria e de forma integrada do início ao fim da produção, ou seja, da mina ao porto.

Esse modelo de atuação representou um avanço tecnológico para o setor de mineração no Brasil, na década de 1970, e até hoje se traduz em competitividade para a empresa, devido à independência e redução de custos em relação ao transporte, à segurança operacional e ambiental, e também por garantir maior estabilidade, disponibilidade e confiabilidade aos processos produtivos.

Tudo começa no Complexo de Germano, nos municípios de Mariana e Ouro Preto, em Minas Gerais, onde é realizada a extração e o beneficiamento do minério de ferro. Em forma de polpa, ele é transportado via minerodutos, que percorre 25 municípios até chegar ao Complexo de Ubu, em Anchieta, no Espírito Santo. Nessa unidade o minério passa pelo processo de pelotização e, por fim, é embarcado em terminal portuário próprio com destino ao cliente final.

Além das unidades operacionais, a Samarco possui a usina hidrelétrica de Muniz Freire (ES) e tem participação no consórcio da usina de Guilman-Amorim, em Antônio Dias e Nova Era (MG).

 

Processo produtivo

Permite que a Samarco transforme um material de baixo teor, com cerca 40% de ferro e que antigamente era considerado estéril, em um produto de alto valor agregado, com teor em torno de 67% de ferro e elevado índice de redutibilidade, que proporciona maior produtividade para as indústrias siderúrgicas e fornos de redução direta.




Complexo de Germano

É onde começa o processo produtivo da Samarco. A unidade está localizada em Mariana e Ouro Preto, municípios de origem mineradora e que possuem relevância para a história de Minas Gerais e do Brasil.

O Complexo de Germano abriga as minas de Alegria, onde é realizada a extração do minério de ferro, a planta de beneficiamento composta por três concentradores, o sistema de filtragem e a Cava Alegria Sul, além da cava e da barragem de Germano. Ainda na unidade, temos a Estação de Bombas 1 e o início do primeiro mineroduto brasileiro.

É em Germano que o minério de baixo teor que no passado era considerado rejeito, com cerca de 40% de ferro, é enriquecido no processo de beneficiamento, deixando a unidade em direção ao Complexo de Ubu com teor em torno de 67%.



Descaracterização de barragens

Em cumprimento à Resolução nº 13/2019 da Agência Nacional de Mineração (ANM), a Samarco está executando o plano de descaracterização da cava e da barragem do Germano, que não operam desde outubro de 2015.

As atividades seguem as normas de segurança estabelecidas e estão sendo realizadas em etapas, que contemplam a garantia da estabilidade de longo prazo das estruturas, a reconformação e revegetação da área do reservatório e a implantação de um sistema de drenagem.

A barragem e a cava do Germano encontram-se estáveis e possuem Declarações de Condição de Estabilidade (DCE) – documentos que atestam que elas atendem aos requisitos de segurança, de acordo com as normas brasileiras e internacionais. Todas as estruturas da empresa são monitoradas 24 horas por dia, sete dias por semana, pelo Sistema Integrado de Segurança, que inclui o Centro de Monitoramento e Inspeção (CMI)

O que é a
descaracterização
de uma barragem?

É o processo de encerramento definitivo da estrutura para que ela deixe de ter características e de operar como contenção de sedimentos ou rejeitos, sendo reincorporada ao relevo e ao meio ambiente.

O que é a
descaracterização
de uma barragem?

É o processo de encerramento definitivo da estrutura para que ela deixe de ter características e de operar como contenção de sedimentos ou rejeitos, sendo reincorporada ao relevo e ao meio ambiente.

Minerodutos





O mineroduto da Samarco foi o primeiro do país e, por mais de três décadas, considerado o maior do mundo para transporte de minério de ferro. Atualmente, a empresa conta com três minerodutos, que têm em torno de 400 km de extensão.

A polpa de minério de ferro viaja cerca de três dias, a aproximadamente 6km/h, do Complexo de Germano ao Complexo de Ubu, atravessando 25 municípios de Minas Gerais ao Espírito Santo.

As duas estações de bombas, na unidade de Germano e em Matipó (MG), têm a função de fornecer energia e impulsionar o deslocamento da polpa. Por sua vez, a duas estações de válvulas, em Guaçuí e Alegre (ES), regulam a pressão para garantir a segurança durante o percurso.

A água utilizada no mineroduto, ao chegar em Ubu, é tratada e recirculada no processo produtivo.



Solução segura e de menor impacto

Os minerodutos da Samarco são predominantemente subterrâneos. Por isso, seu funcionamento não causa transtornos para as comunidades da faixa de servidão. São realizadas inspeções e manutenções periódicas para garantir a integridade das estruturas.

Além disso, o mineroduto é considerado uma solução logística segura e de menor impacto socioambiental. Isso porque, ao não utilizar o transporte rodoviário e ferroviário, evita-se a sobrecarga dessas malhas viárias, o consumo de combustíveis e, ainda, a emissão de gases para a atmosfera.

Complexo
de UBU

Localizado no município de Anchieta, no litoral do Espírito Santo, o Complexo de Ubu contempla quatro usinas de pelotização, quatro estações de tratamento de água e o Terminal Marítimo de Ponta Ubu, a cerca de 80 km de Vitória. A unidade é responsável pelos processos que agregam ainda mais valor ao minério de ferro, transformando-o em pelotas, e pelo seu embarque com destino ao cliente final.

As usinas 3 e 4, construídas no Projeto Terceira Pelotização e no Projeto Quarta Pelotização (P4P), respectivamente, estão entre as maiores do mundo.

Porto

O terminal marítimo, também conhecido como porto de Ubu, conta com pátios de estocagem alfandegados para venda e recebimento de insumos, um píer principal com dois berços de atracação dedicados e um atracadouro para cargas diversas.

Por ser um porto abrigado, com quebra-mar, protege as embarcações da incidência direta das ondas e correntes. Ele está preparado para receber navios de até 210 mil toneladas e o seu carregador (shiploader) tem capacidade nominal de, aproximadamente, 12 mil toneladas por hora. A capacidade de embarque anual é cerca de 33 milhões de toneladas.

O porto de Ubu possui um moderno sistema de controle e passa por manutenções periódicas, como as dragagens, que visam garantir a segurança operacional e ambiental na movimentação das embarcações.

 



Assim que retomar suas operações, a Samarco comercializará pellet feed (finos de minério de ferro concentrados) e pelotas, que são produzidas a partir da aglomeração do pellet feed.

Nossos produtos estão mais presentes no seu dia a dia do que você imagina. O ferro é matéria-prima da siderurgia para fabricação do aço, que por sua vez teve e continua exercendo papel fundamental para a evolução da humanidade e o desenvolvimento econômico e tecnológico.

Tudo prescinde do aço e, indiretamente, do ferro: máquinas, edifícios, automóveis, aviões e até diversos produtos do mundo moderno, como TVs, celulares e computadores. E mesmo quando o minério de ferro não está presente no produto em si, ele é fundamental para sua fabricação e o transporte até o consumidor, como é o caso de roupas, remédios e o alimento que todos consomem. Já imaginou como seria a sua vida sem tudo isso?




Produtos
e suas
aplicações

Samarco
aberta


Temos um programa de visitas às nossas unidades, uma forma de manter um relacionamento próximo e transparente com nossos públicos.