SAMARCO GERMANO-1-145

Nova Santarém

Segurança

Gestão de Barragens da Samarco

 

Desde o rompimento da barragem de Fundão, em novembro de 2015, a Samarco tem dedicado extrema atenção às atividades de reforço de suas estruturas geotécnicas, em atendimento às normas brasileiras e aos requisitos internacionais de segurança.

  • Foram realizadas obras emergenciais, seguindo as recomendações de auditorias independentes;
  • Incorporadas novas práticas de controle, baseadas em avançadas técnicas de monitoramento e tecnologia.

No dia 28 de março de 2019, a Samarco recebeu da empresa auditora contratada a declaração de condição de estabilidade (DCE) das estruturas geotécnicas da empresa. O documento foi emitido após análise de dados e vistorias e demonstra a eficiência do sistema integrado de segurança da empresa.

 

Sistema integrado de segurança conta com:

 

    • Engenharia robusta com projetos estruturantes;
    • Instrumentação adequada;
    • Centro de Monitoramento e Inspeção (CMI) – análise de dados online e inteligência aplicada;
    • Plano de Ação de Emergência de Barragens de Mineração (PAEBM) e Plano de Apoio ao Gerenciamento de Crise (PAGC);
    • Simulados de emergência – Já foram feitos sete exercícios, desde novembro de 2015, com a participação de cerca de 3.500 pessoas das comunidades da região;
    • Instalação de sirenes nas áreas das barragens e nas comunidades dos municípios de Mariana e Barra Longa com testes mensais, todo dia 10, às 10h.

 

DCIM100MEDIADJI_0013.JPG

Nova Santarém

 

Estabilidade e segurança das barragens

 

Logo após o rompimento da barragem de Fundão, foi realizada uma série de obras para reforço das estruturas e construção do sistema de contenção de rejeitos para a clarificação e melhoria da qualidade da água que passa pela área da empresa e chega ao Rio Gualaxo do Norte, afluente do rio do Carmo na Bacia do Rio Doce.

As barragens permanecem estáveis, conforme aponta o monitoramento e o acompanhamento de consultorias especializadas. Relatórios sobre as condições dessas estruturas são remetidos periodicamente aos órgãos competentes.

i1

Foi instalado no Complexo de Germano o Centro de Monitoramento e Inspeção (CMI), que funciona 24 horas por dia, sete dias por semana e conta com mais de 600 equipamentos de última geração para controle e monitoramento das estruturas geotécnicas.

O monitoramento é realizado por uma equipe especializada, composta por engenheiros e técnicos capacitados e inclui inspeção geotécnica de campo.